Fazer um levantamento arquitetônico perfeito é o primeiro passo para o sucesso do projeto! Quando a marcenaria chega, não adianta ter o detalhamento mais lindo do mundo se ele foi feito em cima de um levantamento com as medidas erradas ou de um ângulo que você deixou de perceber.

Para mim, tudo começa no levantamento! E, com a experiência que a gente adquire ao longo do tempo fazendo obra, quase todos os problemas que acontecem no projeto são porque alguma coisa saiu errada na fase de levantamento. Por isso mesmo é preciso ter muita atenção!

Hoje eu vou te mostrar um roteirinho que eu criei, com os dez pontos mais importantes para você se lembrar durante essa etapa:

  1. Desenhe uma planta baixa e tente entender o método construtivo dela. Veja se ela tem parede de gesso, porta, se a parede é de alvenaria e anote tudo... Desta forma você vai conseguir fazer uma análise correta do ambiente.
  2. Marque o Norte. É muito importante, na hora de projetar um ambiente, saber em que lugar bate o sol da manhã e da tarde.
  3. Agora é hora de começar com as medidas de fato e, para isso, use a planta com as medidas gerais. Costumo ver muitos profissionais tirando as medidas picotadas, pequenas. E muitas vezes eles fazem isso por estarem sozinhos (sem ajuda e com uma trena na mão fica mais difícil medir espaços maiores). Essas medidas gerais são muito importantes porque é ali que você consegue detectar se teve algum erro nas medidas parciais. Por experiência eu indico usar a trena eletrônica, com ela fica muito mais fácil para tirar as medidas gerais.
  4. Depois disso passamos para as cotas parciais, que envolve as medidas de janela, de porta, uma parede de gesso que você identificou (e até onde ela vai). É importante anotar tudo porque é diferente o que podemos colocar em uma parede de gesso e em uma parede de alvenaria, por exemplo.
  5. Feitas as cotas parciais, vamos fazer as medidas de esquadria, incluindo o peitoril da janela, a altura dela e o comprimento do vão.
  6. Pé direito: aqui tiramos a altura e, em alguns casos, tiramos o pé esquerdo também.
  7. Pontos elétricos: mesmo que você vá fazer uma intervenção só de decoração na casa é muito importante ver em que lugar estão as tomadas, para não fazer um móvel que bata no meio de uma delas (lembre-se de indicar se é uma tomada alta, média ou baixa, para isso indicamos usar a simbologia de norma). Da mesma forma, marque todas as alturas pelo eixo.
  8. Pontos elétricos: o mesmo conselho dado em relação aos pontos elétricos vale para os pontos hidráulicos. Veja em que lugar eles se encontram, a altura e o eixo.
  9. Ar-condicionado: quando vamos fazer a locação, marcar um ponto de split no ambiente, temos de marcar o eixo dele e a altura.
  10. Móveis existentes. Nessa fase vamos pegar o ambiente cru e anotar se ele tem bancada ou algum móvel para aproveitar (um sofá, por exemplo). Estes quando são peças soltas (ou presas, no caso de uma marcenaria), anotamos numa folha a parte porque eles não fazem parte da estrutura daquele espaço.
  11. Levantamento fotográfico: é importante fazer fotos de todos os lados (principalmente se você quiser um antes e depois, que é bem impactante). Para ter certeza de que você vai fazer um antes e depois do mesmo ângulo, usamos como regra fazer fotos dos quatro cantos da casa e depois de todos os detalhes, para não esquecer nada (viga, pontos de elétrica, acabamento da tomada, do piso, etc).

Gostou das dicas de hoje?

Antes de ir embora eu tenho um convite para te fazer!

Na próxima segunda, 25/10, tem mais uma edição da Super Aula! Nela eu vou te contar qual o porcelanato ideal para a sua casa, vou tirar as tuas principais dúvidas entre os diferentes tipos de acabamentos e te dizer em qual ambiente indicamos usar cada um deles! Se inscreve!

Beijos e até depois,