Vai reformar? Um dos grandes desafios durante este processo é como fazer para não gastar mais do que o planejado! Quantas vezes você já ouviu histórias sobre uma obra onde se gastou mais do que devia em um único item e isso acabou comprometendo a qualidade dos demais?

A maioria dos clientes têm medo de estourar o orçamento e, muitas vezes, abrem mão da ajuda de um profissional, optando pelo “faça você mesmo”.

Mas se a ideia é usar o orçamento de forma equilibrada o primeiro passo é, justamente, contar com a orientação de um profissional! Isso porque é ele quem vai ajudar o cliente a encontrar a solução ideal para o projeto e fazer caber no bolso!

Pequenas mudanças, aliadas a um bom planejamento, vão influenciar, e muito, no custo final! Agora vamos ao tema de hoje: você sabe quais são os itens mais caros de uma obra?

Canos e tubulações (ainda mais se você tiver que refazer tudo!)

Os canos e tubulações ficam escondidos nas paredes, mas isso não é motivo para comprar materiais de qualidade duvidosa!

Além de ter boa qualidade, os canos e tubulações têm que ser apropriados para o uso que você vai dar, como por exemplo água quente e esgoto.

Estrutura (tirar um pilar ou uma viga e ter que criar toda uma nova estrutura)

Não tem como fechar os olhos para uma situação que pode colocar a obra em risco!

Muitas vezes o reforço estrutural não é uma escolha, ele é necessário para manter a segurança do local, evitando o comprometimento da estrutura ou mesmo o desabamento dela.

Instalação de ar-condicionado (quando não tem espera é caro também)

Instalar um ar-condicionado sem mexer muito nas paredes nem sempre é possível. Uma das soluções é apostar em um forro de gesso ou em uma marcenaria personalizada para ajudar a esconder a passagem dos tubos e fios.

Marcenaria (ela representa 30% a 40% do orçamento)

Um projeto de marcenaria costuma ser feito de forma personalizada, buscando atender as necessidades do cliente para aproveitar cada mínimo espaço do ambiente. Por isso mesmo acaba sendo um serviço que traz um custo maior.

O gesso (ele é calculado por metro quadrado, então também tem um valor representativo)

Apesar de ser um material prático de trabalhar, a aplicação do gesso precisa de conhecimento técnico e mão de obra especializada. O valor dos materiais também varia de acordo com o tipo de gesso usado (alguns trazem mais conforto acústico, outros mais resistência ao fogo).

Louças e metais (na hora de trocar, pense duas vezes)

Antes de pensar na beleza estética de torneiras e chuveiros é preciso ter certeza que eles são compatíveis para aquele espaço sem comprometer a sua utilização (pressão da água, tamanho da cuba, altura dos armários aéreos). Uma compra errada pode causar a inutilidade do produto e dificuldade na recompra do item.

Material e Instalação de Pisos e Revestimentos

Existe uma grande variedade de pisos e revestimentos no mercado e, tão grande quanto a variedade, é a diferença de preço e qualidade entre eles. Por isso é essencial fazer um estudo da paginação do piso para ter um cálculo do percentual que será utilizado, evitando desperdício de material.

Esquadrias (elas também são muito caras!)

Investir em esquadrias e vidros de boa qualidade ajuda a aumentar o conforto acústico, térmico e valorizar o ambiente, mas, dependendo do material escolhido e do nível de sofisticação, elas podem representar uma grande fatia no custo total da obra. Principalmente se, ao invés de utilizar as esquadrias prontas, em medidas padrão, forem utilizadas as feitas sob medida.

E aí, quais os itens mais caros para você?

Gostou desse conteúdo? Quer aprender mais sobre arquitetura?

Então eu te convido a participar e se inscrever na minha Super Aula gratuita, que acontece todas as segundas-feiras no Youtube!

O tema de hoje é Detalhamento de Projeto! Nele você vai ver quais os materiais que precisamos liberar para a obra, o que fazer e o que não fazer e quais as etapas de um projeto detalhado!

Te espero lá!

Beijos e até depois,
Rê.