Renata Pocztaruk

[Dica do Dia] Como equilibrar o 'Quente' e o 'Frio' na decoração?

Muitas vezes quando a gente fala sobre composição de decoração, de materiais, falamos muito sobre a relação e o equilíbrio de 'Quente' e 'Frio'.

Mas eu já notei que muita gente fica na dúvida sobre esse tipo de classificação.

Então hoje eu resolvi trazer aqui para a Dica do Dia 3 FORMAS DIFERENTES que podemos classificar esse conceito e como eles podem nos ajudar a criar projetos mais completos, pensando no funcional, no estético e também na sensação de bem estar! 

1. Sensação do toque:

Quando a gente está falando sobre materiais de composição de decoração, na maioria das vezes a gente está falando sobre a SENSAÇÃO QUE TEMOS AOS ENCOSTAR NO MATERIAL, é uma sensação física!

É a sensação que temos ao tocar em um tecido, em um revestimento cerâmico, em pedras, na madeira ou ao pisar em um tapete, por exemplo.

Essa é a forma mais conhecida de CLASSIFICAR o quente e o frio na decoração. Basta encostar no material e você vai saber se é quente, frio ou até mesmo neutro.

2. Sensação das cores:

Também existe a classificação de 'Quente' e 'Frio' no que se refere às cores.

Por exemplo, cores frias [azul, verde, lilás] são aquelas que a gente associa visualmente a água, gelo, céu... Já as cores quentes [amarelo, laranja, vermelho] a gente associa ao fogo, sol, calor, mas em um nível visual.

Basta olhar para uma parede pintada de amarelo para associar ao calor! Então esse grupo de cores vai provocar sensações de agitação (que nos energizam).

Já as cores frias nos acalmam, tranquilizam... Pensa em um quarto pintado de azul claro: nele a gente sente paz, certo?
3. Sensação da luz:

Outra forma que temos de classificar o 'Quente' e 'Frio' no nosso universo da decoração é com a temperatura de cor de uma fonte luminosa que a gente chama de luz fria (aquelas em torno de 6.500 K, já a luz quente em torno de 2.700 K).

Dependendo do tipo de luz que usamos em um ambiente vamos nos conectar de uma forma diferente com o espaço, tendo sensações diferentes.

No caso da iluminação, a luz fria é a que nos desperta e a quente nos acalma (funciona de forma inversa à sensação das cores).
Pense em um restaurante de fast-food: tudo que o proprietário quer é que a gente sinta fome, mas saia rápido do local, certo?!

Por isso usam tanto as cores vermelha e a amarela! Nesses casos ainda é associado à temperatura de cor fria das lâmpadas.

Outra forma que ainda é muito usada em ambientes comerciais para despertar determinadas sensações são o olfato e a audição.

Fast-food: música agitada, mais alta e o cheirinho da batata frita...

Já em um restaurante elegante a música é calma, o volume baixo e o aroma da comida é muito mais discreto.


Você já pensou em explorar as sensações no seu projeto de decoração? Você pergunta para o seu cliente o que ele quer sentir no ambiente que você irá projetar?

Te garanto que tudo muda a partir do momento que a gente entende e aplica tudo isso ao decorar um ambiente!
Beijos e até depois,
Rê.

 

Comentários

  • Publicado por Cristiane albuquerque a

    Amo suas dicas, suas preferências combinam com meus gostos. As vezes leio dicas ou vejo programas de outros arquitetos, mas não me agradam tantos quanto os seus projetos.

Deixe um comentário