Elemento essencial na decoração, ao longo da história as cortinas já serviram como enfeite nas paredes do Egito, ganharam destaque na casa de famílias nobres e de imperadores da China e do Japão e, no século XIII, foram usadas em um casamento real celebrado na Abadia de Westminster, Inglaterra.

Com o passar do tempo as cortinas se tornaram muito mais que um elemento do decor, elas ajudam a proteger os lares do frio e da entrada excessiva de luz, cobrem janelas da curiosidade alheia e garantem privacidade para as famílias.

Além disso, elas vestem o espaço, guardam os interiores da ação do sol e nos transmitem a sensação de acolhimento.

Mas como escolher a cortina que mais combina com o seu projeto?

Na verdade, não existe uma regra! Na hora de optar vale ter uma boa conversa com o seu cliente, para entender qual a preferência dele!

Diferença entre trilho e varão

Normalmente o trilho é utilizado de forma oculta, diferente do varão, que é instalado de forma exposta. Se o ambiente conta com um cortineiro ou com algum outro elemento que ajude a disfarçar, minha dica é usar o trilho, principalmente se intenção for deixar o ambiente mais moderno e clean.

Já o varão é mais utilizado nas decorações mais clássicas, em espaços sem forro de gesso ou com o pé direito muito alto.

Tipos de pregas

A prega é a forma como o tecido é preso, é o acabamento da cortina! Sua escolha pode fazer toda a diferença no efeito:

Prega americana

Modelo clássico, com três pregas agrupadas. Pode ser usada tanto no trilho quanto no varão e garante um efeito volumoso.

Prega macho

Feito com duas dobras unidas, esse tipo de acabamento dá um caimento reto e elegante, com o volume se concentrando na frente, mas sem a necessidade de usar muito tecido. Também pode ser usado tanto no trilho quanto no varão.

Prega fêmea

Mais usadas em ambientes com estilo clássico, ela pode ser usada com varão ou trilho. Seu caimento é reto, mas, devido à forma com que a dobra do tecido é feita (duas em sentidos opostos), o volume cai para trás.

Prega wave

Feita com dobras intercaladas nos dois sentidos, para dar um efeito de maior ondulação.

Passante de tecido

Utilizadas em varão e para uso decorativo, com alças feitas do mesmo tecido da cortina (não costuma deslizar bem).

Dicas da Rê

  • Qual a altura ideal para a cortina? Gosto de deixar 1cm a 2cm do chão;
  • Cortina junta pó e, se o seu cliente é alérgico, opte por uma persiana de madeira ou alumínio;
  • Em lugares onde bate muito sol, use forro junto do tecido para aumentar a durabilidade do material.

Gostou das dicas de hoje? E que tal aprender tudo sobre "como decorar quarto de bebê"?

Este é o tema da minha próxima Super Aula, que acontece em 27/09! Nesse encontro eu, a Rê Lemos e a Dani, da Lilibee, vamos te contar tudo sobre esse ambiente que envolve tantos sonhos e faz parte de um momento tão importante na vida das famílias.

Clica aqui para garantir a tua vaga!

Beijos e até depois,

Rê.